Os corredores sem fim e a maior das artes turcas no Grand Bazaar: a pechincha

Postado por em 17 de julho de 2012 - Atualizado em 12 de agosto de 2013

Parada obrigatória de quem vai a Istambul, o Grand Bazaar (Kapalıçarşı) é um lugar encantador e grandioso. Considerado um dos maiores mercados cobertos do mundo, é formado por cerca de 60 ruas e mais de 4 mil lojas, por onde passam entre 250 mil e 400 mil visitantes todos os dias. É incrível imaginar quilômetros e quilômetros de corredores cobertos por cúpulas pintadas e arcos.

Grand Bazaar - Istambul (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Grand Bazaar - Istambul (Foto: Esse Mundo É Nosso)

O prédio imponente na realidade é dividido em duas construções. A primeira começou a ser erguida por volta de 1461 a pedido do Sultão Mehmed the Conqueror e hoje é conhecida como Antique Market – Old Bazaar (Cevahir Bedesteni). Nos séculos seguintes, as ruas ao redor se desenvolveram comercialmente, foram cobertas e houve a expansão que deu origem à segunda e ainda maior parte do bazar. Diversas vezes o Grand Bazaar foi destruído por incêndios e terremotos e novamente reconstruído. O último grande tremor foi nos anos 50.

Grand Bazaar - Istambul (Foto: Esse Mundo É Nosso)Grand Bazaar - Istambul (Foto: Esse Mundo É Nosso)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A graça ali é se perder – acredite nisso – pelos quilômetros de corredores e admirar as bancas de cerâmicas, lustres, tapetes, antiguidades, prata, ouro e joias. Os setores são bem divididos, o que facilita encontrar as lojas, algumas delas inclusive com bandeiras do Brasil e vendedores que falam português.

Grand Bazaar - Istambul (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Grand Bazaar - Istambul (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Grand Bazaar - Istambul (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Uma dica para quem vai ao Grand Bazaar: é preciso fazer um “exercício mental” antes. Acorde de bom humor, aceite a ideia de que você será cercado por centenas de vendedores que farão de tudo para que você leve um tapete de 30Kg para o Brasil e esteja disposto a pechinchar. Isso foi o que me decepcionou no mercado. Os preços são absurdamente mais caros que em outras partes da cidade. Então, tirando a beleza do prédio e a história embarcada nas paredes do bazar, só compre ali produtos que você não encontrará em outros locais ou que você realmente tenha conseguido baixar o preço em umas três vezes o valor original. Não tenha medo, os turcos praticam a arte da pechincha há séculos e vão gostar de “brincar” com você!

Grand Bazaar - Istambul (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Mas independente do que você procura, o contraste entre as os souvenirs baratos para os turistas e os artigos extremamente luxuosos e caros é muito interessante.

Grand Bazaar - Istambul (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Grand Bazaar - Istambul (Foto: Esse Mundo É Nosso)

O Grand Bazaar tem diversas entradas, uma mais linda que a outra. São quatro grandes portões principais e outras pequenas passagens, que dão para as ruas ao redor, também tomadas por vendedores de tudo o que se imagina.

Grand Bazaar - Istambul (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Do lado de fora, inclusive, existe um bazar de livros muito interessante, mas este a céu aberto.

Bazar de Livros - Istambul (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Aproveite o dia no Grand Bazaar, bata pernas até não aguentar mais, pechinche o máximo que puder e sente-se em um dos diversos cafés para um çay. É a melhor maneira de sentir uma das experiências mais legítimas dos turcos.

SERVIÇO

Segunda a sábado – 9h às 19h
Fechado aos domingos e feriados

COMO CHEGAR

A partir de Sultanahmet, onde você provavelmente estará hospedado, basta pegar um tram (o moderno bonde de superfície) e descer na estação Beyazıt-Kapalıçarşı ou Laleli-Üniversite. A caminhada pela avenida onde passa o tram leva entre 10 e 15 minutos.

 

 

Leave a Reply