Como é voar para os Estados Unidos pela US Airways

Postado por em 25 de setembro de 2011 - Atualizado em 6 de dezembro de 2011
Relato de como é o voo Rio – Charlotte pela companhia aérea americana US Airways

Quando decidi que iria passar minhas férias nos Estados Unidos procurei todas as companhias aéreas que voavam para lá. Mas como queria ida e volta SP – Charlotte, a única opção sem conexões fora do país seria a US Airways. A companhia opera há quase dois anos no Brasil, mas por enquanto os voos só partem do Rio de Janeiro.

Confesso que comprei a passagem bem desanimado, já que tudo que eu li a respeito da companhia falava mal do serviço e dizia que o avião era muito velho, chegando a ter poltronas quebradas.

767 da US AirwaysPeguei meu voo às 15h40 em Guarulhos pela Tam, que tem parceria com a US. Despachei a mala e só precisei pegá-la novamente já em Charlotte. No Galeão, só precisei trocar meu bilhete e o atendente foi rápido e solícito, já inclusive, colocou minhas milhas do Tam Fidelidade para a outra viagem que farei pela companhia.

O voo saía às 22h20. O embarque começou pouco antes das 21h40 e a decolagem ocorreu dentro do horário previsto. O avião (767) é realmente bem velho, mas talvez por este motivo seja mais confortável. As poltronas são pouco mais espaçosas e há um cobertor e um travesseiro quando você chega.

O grande problema das 10 horas de voo é a falta de entretenimento. Não há tela individual. Há uma TV de LCD de 32 polegadas na parede e depois uma TV bem velha de tubo de 14 polegadas. O filme da noite era X-Men e se você não tivesse fone, poderia pagar 5 dólares ou 10 reais por eles. Não vale a pena.

No jantar havia uma massa (penne com molho de tomade e queijo) ou frango com arroz e feijão verde. A sobremesa era um bolo de chocolate. Vinha também um pão francês, manteiga e uma salada. Cerveja não está inclusa, uma lata custa 7 dólares ou 14 reais.

Jantar na US Airways
Café da manhã na US Airways

O café da manhã foi servido cerca de 50 minutos antes do pouso. Tinha sanduiche frio de queijo com peito de peru e frutas. Para beber havia leite, café, água e suco.

Embora os comissários de bordo não sejam tão simpáticos quanto os brasileiros, eles atenderam muito bem. Inclusive, um deles falava português, mais parecido com o de Portugal, mas traduzia todas as informações passadas pelo comandante.

Ao chegar em Charlotte, havia uma brasileira para auxiliar no preenchimento dos dados antes de passar pela imigração. Ela faz a diferença para muita gente, principalmente porque na ficha, que vem em português, eles confundiram com o espanhol e colocaram “Apelido” no lugar de sobrenome.

Valeu a pena ter enfrentado o medo após ter lido tantas coisas da US Airways. Não há lazer no voo, mas ele foi bem tranquilo e confortável.



Leave a Reply